E-mail marketing: as boas práticas para o seu negócio

Escrito por maiscode

Publicado em 26/04/2021

Agora que você já sabe quais os tipos de e-mail marketing, é importante saber de algumas outras coisas como: planejar o melhor horário e dia para enviar, a frequência de envios e entender a importância da Lei Geral de Proteção de Dados é essencial.

Planejamentos iniciais

Público

Primeiro você precisa conhecer o seu público e principalmente no que ele se interessa. Ao pensar nisso, você pode entregar conteúdos mais direcionados e com uma linguagem mais adequada. É aqui que também entra a segmentação, que é dividir cada público em nichos para enviar e-mails diferentes para cada um deles. Assim, você pode dividi-los com base no estágio de compra de cada um, no interesse pessoal, na idade, entre outros tópicos!

Template

É bom que o seu e-mail tenha uma comunicação coerente, tanto visual quanto escrita. Ou seja, manter uma forma de escrever e apresentar o texto é essencial. Ao ter um template único, o público identifica rapidamente de que empresa se trata e gera uma conexão entre você e os clientes. Então, se certifique que o design e a forma de se comunicar do seu e-mail sejam sempre os mesmos.

Calendário

É muito importante pensar que dia e que horário é melhor mandar um e-mail e manter um calendário de envio. É normal que alguns dias e horários podem ter maiores taxas de abertura do que em outros, dependendo do contexto do seu público.

Para ajudar no planejamento, um estudo da Customer.io mostrou os seguintes resultados:

  • Terça-feira é o dia que tem as melhores taxas de abertura, porque normalmente nesse dia há uma demanda menor de trabalho que na segunda-feira;
  • E-mails de ativação, como acesso, eventos de webinário, criação de contas e trocas de senha abrem melhor perto do fim de semana;
  • Newsletter e conteúdos educacionais abrem melhor no início da semana.

Agora em relação ao melhor horário, um estudo da CoSchedule chegou aos seguintes resultados:

  • 10h é o melhor horário porque a maioria das pessoas já estão acordadas e trabalhando. Porém qualquer horário durante o dia de trabalho normal, das 9h às 17h é considerado um bom timing;
  • 20h é um bom horário também porque as pessoas conferem o e-mail antes de dormir;
  • 14h é a hora que as pessoas procuram por algumas distrações do trabalho;
  • 6 horas pode ser interessante porque 50% das pessoas começam o dia checando seus e-mails na cama.
  • Evite mandar nas sextas-feiras, vésperas e dias seguidos aos feriados, quando as tarefas costumam se acumular.

Esses dados são muito importantes para servirem como base, mas é ainda mais interessante que você teste os melhores horários que funciona com o seu público, pois podem ser um pouco diferentes.

Frequência

Você sabia que mais da metade das pessoas se descadastram de uma lista porque recebem e-mail com muita frequência? É o que diz um estudo da Hubspot. Com base nisso, é importante que você não envie muitos e-mails porque pode cansar sua audiência e em vez de chamar a atenção, você incomoda e é bloqueado. Mas, por outro lado, se enviar poucos e-mails, as pessoas podem esquecer que você existe e não engajar mais com o seu conteúdo. Portanto, encontre o equilíbrio e envie com uma boa frequência.

Boas práticas

Explore gatilhos mentais

É legal usar os “gatilhos mentais” — o senso de urgência e novidade pode fazer alguém querer abrir seu e-mail e até fazer uma conversão. Portanto, mostrar conteúdos exclusivos e disponíveis em tempo limitado podem atrair a atenção do público, que vão se sentir impulsionados a clicar e ver o que estão perdendo.

CTA (Call To Action)

Não se esqueça de fazer as chamadas para ação no final do texto. Levar o público a clicar em um link, baixar um eBook, assistir uma live ou webinário é essencial. Deixe também sempre claro onde você quer que eles cliquem: se você deseja que eles baixem um eBook, por exemplo, deixe bem claro e não encha com outros links, pois isso pode confundir o seu público.

Nunca compre lista de e-mail (adeque-se com a LGPD!)

Muita gente acredita que comprar lista de e-mail é a forma mais fácil de alcançar pessoas por meio do e-mail marketing. Mas a realidade é outra: ao comprar uma lista de e-mail você está dando um tiro no próprio pé. Normalmente essas listas são desatualizadas, com e-mails antigos ou falsos, e por isso, seus e-mails podem cair na caixa de spam.

Além disso, desde a aprovação da Lei Geral de Proteção de Dados, é proibido que empresas enviem e-mails ou mensagens para pessoas que não deixaram claro que queriam recebê-las. Portanto, comprar lista de e-mails ou mesmo realizar envios avulsos podem implicar em penalidades.

Pela lei, é importante que você tenha o consentimento do público para utilizar suas informações pessoais e forneça a possibilidade de descadastramento a qualquer momento. Sua empresa também deve ser transparente quanto ao uso dos dados de cada pessoa, deixando claro quais dados você usa e para qual finalidade.

“Mas, se eu não posso comprar lista, onde eu posso conseguir e-mail de forma segura?”

Simples. Deixe no seu site e suas publicações um formulário e quem se interessar vai se cadastrar, criando dessa forma a sua própria lista de e-mail marketing!

Observação: em primeiro instante só peça o nome, o e-mail e se possível qual o interesse do lead. Pedir qualquer dado a mais pode assustá-lo!

Faça testes A/B

O teste A/B é muito importante no e-mail marketing para analisar o que dá mais certo no conteúdo do texto. Assim, divida sua lista em duas partes e envie e-mails diferentes para cada uma delas.

Exemplo: para uma parte, envie “essa é a última oportunidade para baixar nosso eBook” e para outra “não perca a chance de baixar nosso eBook” e analise qual dos e-mails as pessoas abriram mais.

O título foi apenas um exemplo, mas você pode fazer isso com o texto e analisar outras coisas, como a taxa de clique (quantas pessoas clicaram no link dentro do e-mail) ou a taxa de conversão.

Aliás, lembre-se de apenas mudar um tópico por vez para que suas análises sejam mais precisas! E mande ambos os e-mails no mesmo horário, porque isso pode influenciar.

Conclusão

Assim, sabendo que o e-mail marketing pode estreitar relacionamentos, nutrir leads, aumentar o rendimento financeiro e ao ter em mãos as boas práticas desse recurso de marketing, você pode colocar em ação as dicas aprendidas hoje mesmo. E aí, o que está esperando? Vamos começar?

Referências

https://customer.io/blog/timing-week-day-email-sending-schedule/

https://blog.hubspot.com/marketing/why-consumers-subscribe-to-email

Venha fazer a sua presença online com a MaisCode

FAÇA UM ORÇAMENTO

    Assine nossa newsletter para se manter presente online



    Open chat
    Fale conosco!